TERESÓPOLIS: CASO DE INJÚRIA RACIAL SEGUIDA DE AGRESSÃO EM ÔNIBUS

TERESÓPOLIS: CASO DE INJÚRIA RACIAL SEGUIDA DE AGRESSÃO EM ÔNIBUS

Uma passageira contou o que sofreu no coletivo, veja baixo.”Oi, gente. Não sou de compartilhar muitas coisas nas redes sociais, mas preciso falar o que aconteceu comigo ontem.Minha filha e eu entramos em um ônibus no ponto da casa e vídeo. O ônibus estava cheio e só tinha poltronas separadas. Então, eu a coloquei sentada na minha frente perto de uma senhora e fui sentar perto de um senhor q quando me viu já fez cara feia e não queria tirar a mochila para eu sentar. Não tendo jeito, tirou a mochila e começou a me ofender dizendo que eu era feiosa e eu respondi : prefiro ser feiosa a ser mal caráter. Daí, ele não satisfeito disse que preto e uma desgraça mesmo, que só serve para atrapalhar. Na mesma hora eu mandei ele repetir e ele disse :é isso mesmo que você ouviu.

Levantei e pedi para o motorista parar na frente da antiga delegacia q eu tinha sofrido racismo e q eu ia prestar queixa.O motorista parou, eu desci e como não tinha nenhum policial, liguei para 190. Nisso o cara q fez isso comigo, tentou fugir. Eu vendo ele fugindo corri atrás dele e segurei na camisa.

Quando eu segurei na camisa, ele me deu três socos. Veio um rapaz de moto q imobilizou esse cara até a polícia chegar.

Conclusão: Fizemos o boletim de ocorrência e ele foi atuado por lesão corporal e injúria racial. Foi liberado e não pagou fiança. Vai responder em liberdade. Ainda me disse que isso não daria em nada. Eu como educadora, encorajo vc a não se calar diante dessas coisas. Eu não sou uma desgraça por ser negra, não mereço apanhar por querer sentar em uma poltrona no ônibus. Eu mereço respeito e incentivo a todos que estão lendo isso, a ir atrás dos seus direitos. Eu não poderia deixar passar essa situação.

Mesmo que a justiça não faça nada, o importante é que eu fiz. Não me calei e não posso me calar diante de tamanha atrocidade q esse cara fez comigo hj. Agradeço a todas as pessoas que me ajudaram indo testemunhar, indo à delegacia me apoiar e aos policiais e delegados de plantão. E a todas as mensagens de carinho”, disse a agredida estamos tentando identificar agressor!

Créditos: Teresópolis na tela

Geral