A capital do Haiti, Porto Princípe, também foi atingida

Moradores de áreas costeiras baixas do estado norte-americano de Louisiana e de Cuba foram retirados neste domingo (22), enquanto vias se transformavam em rios em Porto Príncipe, capital do Haiti, enquanto dois furacões ameaçavam o Caribe e a Costa do Golfo dos Estados Unidos. 

Marco, que ganhou força de furacão hoje e que deve atingir a costa de Louisiana nesta segunda-feira (24), será seguido pela tempestade tropical Laura, agora na República Dominicana, que deverá viajar por Hispaniola e Cuba e se transformar em um furacão antes de chegar à Costa do Golfo na quinta-feira. 

Em Porto Príncipe, no Haiti, vídeos nas redes sociais mostraram pessoas nadando com águas lamacentas até a cintura, em uma das piores enchentes que a capital já viu em anos. O Haiti é especialmente vulnerável a chuvas intensas devido à infraestrutura de má qualidade e ao desmatamento, o que aumenta a probabilidade de deslizamentos de terra. 

As autoridades pediram aos moradores ao longo do Rio Artibonite que deixassem a área por causa dos riscos de rompimento das margens da hidrelétrica Peligre. 

O Haiti foi o primeiro a relatar uma morte em decorrência da tempestade Laura. Uma menina de 10 anos morreu quando uma árvore caiu em sua casa na cidade de Ans-à-Pitres, no Sul do país. 

Com a esperança de que as montanhas de Hispanola enfraqueceriam a tempestade, Cuba se preparava neste domingo para a tempestade tropical Laura. 

Moradores estão sendo retirados na parte oriental da maior ilha do Caribe, onde a tempestade chegará na noite de hoje, segundo as previsões, levando inundações, antes de passar por toda a ilha amanhã.

Jennifer Hiller, Marc Frank, Gary McWilliams e Barbara Goldberg – Repórteres da Reuters – Washington